Regionais - Homens são presos após entregar por engano 67 kg de maconha a policiais - Notícias
(1) 2 3 4 ... 13092 »
Regionais : Homens são presos após entregar por engano 67 kg de maconha a policiais
Enviado por alexandre em 25/05/2018 00:09:43


Paris - Um traficante trapalhão confundiu um dupla de policiais à paisana com comparsas e entregou a eles por engano 67 kg de maconha. O caso aconteceu em Bondy, na região metropolitana de Paris.

Os policiais estavam em um carro estacionado, no fim da tarde de quarta-feira, seguindo um carro que havia sido roubado. O traficante, um homem de 33 anos morador de Paris, guiando um Peugeot 308, aproximou-se da dupla de policiais, que parecia esperar alguém, e perguntou se a encomenda era para eles.

Os policiais responderam que sim e aguardaram. Ao mostrar a carga de resina de maconha acondicionada em duas caixas, os policiais deram voz de prisão e algemaram o bandido.

Outro traficante, de 28 anos, chegou ao local da entrega em um Renault Clio. O bandido algemado tentou alertá-lo para que fugisse. Os policiais, armados com armas de choque elétrico, imobilizaram o segundo bandido e o prenderam.


o dia

Regionais : Polícia Civil realiza mega operação em Urupá e desarticula Organização Criminosa.
Enviado por alexandre em 24/05/2018 23:59:45

Ao todo foram expedidos 17 Mandados de Prisão e 12 Mandados de Busca e Apreensão em desfavor da organização criminosa. Entre os crimes praticados estavam os crimes de Tráfico e Associação para o Tráfico, Roubo de veículos, Residências e Comércios, furtos, Receptação e Porte Ilegal de Arma de Fogo.

Foram apreendidos na operação DROGAS, arma, munições e dinheiro.

A operação foi presidida pelo Dr Ronaldo Carvalho Campos, que contou com auxílio do Diretor de Polícia do interior Dr Arismar Araújo e pelo Delegado Regional de São Miguel do Guaporé, Dr Fred Matos.

Foram empregados 52 policiais civis das cidades de Alvorada do Oeste, Ji-Parana, Ouro Preto, Presidente Medici, Cacoal, Nova Brasilândia, Costa Marques, São Miguel do Guaporé, Rolim de Moura, São Francisco do Guaporé e Urupá.

A operação contou ainda com o Núcleo de Operações Aéreas -NOA da Sesdec, que empregou um helicóptero em apoio no cumprimento das cautelares.

As investigações se iniciaram a cerca de 2 (dois) meses sendo demonstrado que os investigados possuia um vínculo criminoso maior e mais articulado do que se imaginava de início, aos quais eram responsáveis em compor uma Organização Criminosa que atuavam nas cidades de Urupa, Alvorada do Oeste, Teixeiropolis, Mirante da Serra e São Francisco. Os líderes da referida ORCRIM, instigavam outros componentes para que esses viessem a cometer crimes patrimoniais (Furto e Roubo) a fim de angariar bens aos quais eram, posteriormente, trocados por entorpecente em grande quantidade e, em seguida, comercializado pelos envolvidos onde era feita a divisão do lucro obtido.

No lapso temporal ao qual perdurou à investigação foram recuperados 5 (cinco) veículos aos quais eram produtos de furto ou roubo, sendo 4 (quatro) motocicletas e 1 (um) carro de passeio. Foram, também, apreendidos vários invólucros de entorpecente com usuários de droga e instaurados 7 (sete) Termos Circunstanciados por posse de entorpecente. Nessa mesma toada, a Polícia Civil informa que foram solucionados mais de 20 (vinte) ocorrências de furto aos quais estão diretamente ligados aos envolvidos.

Foram presos na operação: Gilson Caldeira Silva, Ediane Penha do Nascimento, vulgo "Índia", Marcos Antonio Marques, vulgo "chapolim", Maria Bielink Correia, vulgo "gaucha", Elizandro da Cruz Cagliari Santos, vulgo "Lizandro", Orlando Cagliari, vulgo "Orlando carroceiro", Rosevelt Ramilho Freira, vulgo "velt", Ivan Flaides Trindade, Fagner Correia Rosa, vulgo "caxinha", Elivelton de Souza, vulgo "cabeção", Elton Guerra, vulgo "Eltinho" e Adriano Ventura e Silvio dos Santos Tretene, vulgo "silvingo". Ainda se encontram foragidos outros 5 (cinco) suspeitos que poderão ser presos a qualquer momento.

A Polícia Civil informa que as imagens dos envolvidos se fazem necessárias, haja Vista, o cometimento de vários crimes patrimoniais ocorridos nessa região e havendo, assim, a possibilidade de reconhecimento de alguma vítima em face aos citados. Nessa mesma esteira, informa ainda que todos são tratados, até o presente momento, como suspeitos.
O nome da operação Astúcia, Leva em Consideração o significado que é o mesmo que esperteza ou a habilidade da pessoa que não se deixa enganar com facilidade.

Assim como pode ser interpretado como uma característica positiva, a astúcia também pode ser usada como um termo pejorativo, no sentido de alguém que tenta se aproveitar de outro indivíduo para atingir um objetivo próprio. Neste aspecto, pode-se dizer que uma pessoa astuta é ardilosa, maquiavélica, traiçoeira e velhaca.

Esta palavra era utilizada pelo popular personagem televisivo Chapolin Colorado, interpretado pelo ator e escritor mexicano Roberto Gómez Bolaños, na frase icônica: “não contavam com minha astúcia”. Neste caso, a intenção do personagem era mostrar como as pessoas não suspeitavam da sua incrível esperteza.

Por extensão, o significado de astúcia ainda pode estar relacionado com o comportamento da pessoa que é travessa, traquinas ou peralta.





 

Ascom

Política : DESTACANDO
Enviado por alexandre em 24/05/2018 22:38:12


Marcelino Tenório destaca que setor produtivo vive bom momento porque não negocia com poder público
Parlamentar chamou Lei da Licitação de perversa e repudiou empresas que fornecem produtos sem qualidade

Em seu pronunciamento na Sessão Itinerante da ALE na 7ª Rondônia Rural Show, o deputado Marcelino Tenório (PRP), destacou que o setor produtivo está dando certo no Brasil, graças ao trabalhador rural, aos pequenos, médios e grandes produtores. "Simplesmente, porque é um segmento que não faz negociação com o setor público, não se corrompe e por isso está dando certo, por isso vai crescer sempre", declarou o deputado.

Marcelino Tenório citou como exemplo a indústria da construção civil, que tem como maior cliente o poder público. Segundo Marcelino Tenório, este é um setor onde a corrupção começa de profissionais, servidores públicos concursados, responsáveis pelos projetos que chegam até os empresários, que só conseguem vencer as licitações, porque são corrompidos.

O deputado defendeu que em casos que o Ministério Público ou a Polícia Federal precisam intervir com investigações, é preciso entender que superfaturamento de obra não é de responsabilidade de prefeito ou governador.

"Tem que prender quem elabora o projeto, seja o engenheiro, o técnico responsável, porque é ali que a corrupção começa ali que os valores são ultrapassados. Cabe aos prefeitos, governador, colocar o plano em execução, mas são servidores concursados os responsáveis pela elaboração do plano", enfatizou Marcelino. O parlamentar ressaltou a necessidade da Câmara Federal e do Congresso Nacional se posicionarem para que a lei seja mudada, pois segundo ele, só assim será possível construir um Brasil diferente.

Marcelino Tenório também criticou a Lei de Licitação a qual chamou de "perversa". Segundo o deputado, empresas vencedoras de licitações entregam produtos de péssimas qualidade às prefeituras. "É um absurdo permitir que o dinheiro público seja disponibilizado para comprar o que não presta para os trabalhadores rurais, por exemplo", concluiu o deputado ao se referir em investimentos altos em maquinários agrícolas de baixa qualidade e sem durabilidade.

decom

Regionais : Termópilas – Afilhado de Confúcio Moura, ‘braço direito’ de Valter Araújo, empresários e ex-secretária da Sejus/RO são condenados
Enviado por alexandre em 24/05/2018 22:28:03


Porto Velho, RO – A Justiça de Rondônia proferiu mais uma sentença referente à famigerada ‘Operação Termópilas’.

A juíza de Direito Inês Moreira da Costa, da 1ª Vara da Fazenda Pública de Porto Velho, sentenciou seis réus no dia 14 de maio deste ano pela prática de improbidade administrativa. A decisão foi publicada no Diário da Justiça de sexta-feira (25).

Foram condenados: Andressa Samara Masiero Zamberlan, ex- coordenadora de Administração e Finanças da Secretaria de Estado da Justiça (Sejus/RO); Rômulo da Silva Lopes – afilhado do ex-governador Confúcio Moura (MDB) e ex-assessor especial do mesmo órgão; Mírian Spreáfico, ex-secretária titular da pasta; Rafael Santos da Costa, considerado “braço direito” do ex-presidente da Assembleia Legislativa Valter Araújo; e os empresários Júlio César Fernandes Martins Bonache e José Miguel Saud Morheb. ]

José Miguel Morheb é o autor da célebre frase: “Propina não é desperdício, é investimento”.

Para obter a condenação, o Ministério Público (MP/RO) narrou que durante as investigações da “Operação Termópilas”, deflagrada pela Polícia Federal em 2011, constatou-se a atuação de agentes públicos e particulares com o objetivo de favorecer empresários da Capital nas secretarias do Governo do Estado de Rondônia, notadamente a Sejus/RO e a Sesau/RO.

Segundo o MP/RO, a dinâmica funcionava da seguinte maneira: o então presidente da ALE/RO, Valter Araújo, era responsável por gerenciar os interesses dos empresários de Porto Velho junto às secretarias mencionadas, mediante cobrança de propina pelos serviços prestados.

Dentre os benefícios, incluíam-se a rápida tramitação de processos administrativos, o desembaraço de pagamentos e a prorrogação dos contratos de prestação de serviços.

Os empresários, por sua vez, contavam com o apoio de servidores das secretarias para alcançarem seus objetivos financeiros referentes aos processos de prestação de serviços de suas empresas.

Tal apoio era intermediado por Rafael Santos da Costa, considerado “braço direito” de Valter Araújo.

Conforme a denúncia, Andressa Masiero Zamberlan, na condição de coordenadora de Administração e Finanças da Sejus/RO, favorecia os interesses dos empresários Júlio Bonache e José Miguel Morheb, garantindo rápida tramitação de processos para pagamento e facilitando prorrogações/renovações de contratos de prestação de serviços de suas empresas.

Tais favorecimentos possuíam como contraprestação o oferecimento de propina.

Quanto a Rômulo da Silva Lopes, o MP/RO asseverou que este agia no mesmo contexto da atuação de Andressa Masiero, pois ele era ex-assessor especial da Sejus/RO. Assim, tal como Andressa, favorecia os interesses de empresários ligados à organização de Valter Araújo em troca de pagamento de propina, sobretudo porque, segundo a a acusação, possuía maior acesso ao governador do Estado – Confúcio Moura, à época – para assinatura das prorrogações contratuais.

Mírian Spreáfico também praticou conduta ímproba, pois era secretária de Estado da Justiça e não só foi conivente com a atuação dos servidores Andressa e Rômulo, como também recebia repasses financeiros de Bonache e Morheb.

Rafael Santos Costa, por sua vez, era responsável por gerenciar os processos dos empresários que faziam parte da organização criminosa.

Ele procurava os servidores da Sejus/RO visando dar agilidade aos processos dos empresários. Para o MP/RO, Rafael induziu a prática dos atos de improbidade administrativa praticados pelos servidores, em nome dos empresários, para garantir que os interesses destes fossem atendidos.

Há indicação, ainda segundo o promotor responsável pelo caso, de que Rafael se beneficiava economicamente, mediante o recebimento de quantias mensais a título de “serviço de assessoramento”.

Assim, sua atuação era realizar a intermediação entre os interesses dos empresários e os servidores da secretaria do Estado.

Quanto às condutas praticadas por Júlio César Bonache e José Miguel Morheb, estas consistiam em realizar pagamentos ilícitos para os servidores Rômulo e Andressa e a então secretária da Sejus/RO, Mírian Spreáfico.

De acordo com as provas, Rômulo possuía trânsito livre dentro da Sejus/RO e em outros órgãos do Governo do Estado em razão de proximidade com o então governador Confúcio Moura.

Em sua inquirição, Rômulo não somente confirmou o repasse de valores à Andressa, como também explicou como funcionava o esquema.

Confira as sanções impostas pelo Juízo:

a) Andressa Samara Masiero Zamberlan: i) perda do valor que outrora foi acrescido ilicitamente ao seu patrimônio, mediante a devolução dos R$6.000,00 recebidos do réu Julio Cesar Bonache; ii) a perda de sua função pública, acaso ainda figure nos quadros de servidores do Estado de Rondônia; iii) o pagamento de multa civil correspondente a duas vezes o valor do acréscimo patrimonial, ou seja, R$12.000,00.
Deixo de aplicar a sanção de suspensão dos direitos políticos à ré, por entender que ser desproporcional à conduta praticada. Também deixo de aplicar a sanção consistente em proibição de contratar com o Poder Público ou receber benefícios ou incentivos fiscais, porque a ré era mero agente público, não possuindo empresa com contratos junto a Administração;

b) Rômulo da Silva Lopes: i) perda do valor que outrora foi acrescido ilicitamente ao seu patrimônio, mediante a devolução de R$28.000,00 recebidos do réu Julio César Bonache e R$18.000,00 recebidos de José Miguel Morheb, valores esses alcançados de acordo com as declarações do próprio réu; ii) a perda de sua função pública, acaso ainda figure nos quadros de servidores do Estado de Rondônia; iii) o pagamento de multa civil correspondente a duas vezes o valor do acréscimo patrimonial, ou seja, R$92.000,00.

Deixo de aplicar-lhe a sanção de suspensão dos direitos políticos por entender ser desproporcional à conduta praticada, e também deixo de aplicar a sanção consistente em proibição de contratar com o Poder Públio ou receber benefícios ou incentivos fiscais, porque era mero agente público, não possuindo empresa com contratos junto a Administração;

c) Mírian Spreáfico: i) perda do valor que outrora foi acrescido ilicitamente ao seu patrimônio, mediante a devolução de R$28.000,00 recebidos do réu Julio César Bonache; ii) a perda de sua função pública, acaso ainda figure nos quadros de servidores do Estado de Rondônia; iii) o pagamento de multa civil correspondente a três vezes o valor do acréscimo patrimonial, ou seja, R$84.000,00; iv) a suspensão de seus direitos políticos pelo prazo de 8 anos, por entender que sua conduta foi mais reprovável do que a dos outros agentes envolvidos, já que era Secretária de Justiça do Estado, à época.

Deixo de aplicar a sanção consistente em proibição de contratar com o Poder Público ou receber benefícios ou incentivos fiscais, porque a ré era mero agente público, não possuindo empresa com contratos junto a Administração;

d) Rafael Santos da Costa: i) perda do valor que outrora foi acrescido ilicitamente ao seu patrimônio, mediante a devolução de R$ 180.000,00 recebidos ilicitamente para realizar acompanhamento, por pelo menos um ano, de processos na SEJUS, SECEL e SESAU; ii) a perda de sua função pública, acaso ainda figure nos quadros de servidores do Estado de Rondônia; iii) o pagamento de multa civil correspondente a uma vez o valor do acréscimo patrimonial, ou seja, R$100.000,00, considerando que seu depoimento contribuiu para a elucidaçao dos fatos, de modo que não será aplicado o máximo previsto nesta penalidade, que é de até três vezes o valor do acréscimo; iv) a suspensão de seus direitos políticos pelo prazo de 8 anos, por entender que sua conduta foi muito grave;
Deixo de aplicar a sanção consistente em proibição de contratar com o Poder Público ou receber benefícios ou incentivos fiscais, porque não há indícios de que o réu possua empresa com contratos junto a Administração;

e) Júlio César Fernandes Martins Bonache: i) suspensão dos direitos políticos ficarão suspensos pelo prazo de oito anos; ii) ficará proibido de contratar com o Poder Público ou receber incentivos fiscais ou creditícios, direta ou indiretamente, ainda que por intermédio de pessoa jurídica da qual seja sócio majoritário, pelo prazo de dez anos.
Deixo de aplicar as demais sanções previstas no art. 12, I, porque embora o réu tenha recebido dinheiro público, tal pagamento se deu com contraprestação de serviços, não restando comprovado nos autos que eventual dinheiro recebido ocorreu sem a prestação do serviço de sua empresa.

f) José Miguel Saud Morheb: i) seus direitos políticos ficarão suspensos pelo prazo de oito anos; ii) ficará proibido de contratar com o Poder Público ou receber incentivos fiscais ou creditícios, direta ou indiretamente, ainda que por intermédio de pessoa jurídica da qual seja sócio majoritário, pelo prazo de dez anos.

Deixo de aplicar as demais sanções previstas no art. 12, I, porque embora o réu tenha recebido dinheiro público, tal pagamento se deu com contraprestação de serviços, não restando comprovado nos autos que eventual dinheiro recebido ocorreu sem a prestação do serviço de sua empresa.

Autor / Fonte: Rondoniadinamica

Regionais : Site ensina alguns remédios caseiros para aumentar o apetite sexual e ter melhor desempenho na hora H
Enviado por alexandre em 24/05/2018 01:31:37

Site ensina alguns remédios caseiros para aumentar o apetite sexual e ter melhor desempenho na hora H
Aumentando o apetite e o desejo sexual , consequentemente, melhora a relação entre o casal.

Clique para compartilhar no Facebook(abre em nova janela)Clique para compartilhar no Twitter(abre em nova janela)Compartilhe no Google+(abre em nova janela)Clique para compartilhar no WhatsApp(abre em nova janela)Clique para compartilhar no Telegram(abre em nova janela)Clique para enviar por e-mail a um amigo(abre em nova janela)Clique para imprimir(abre em nova janela)

Alimentos bons para aumentar o desejo sexual

Um excelente remédio caseiro para apetite sexual é o suco de açaí com guaraná, que também é composto por morangos, mel, canela e açúcar mascavo, assim como o chá de catuaba com salsaparrilha, que devem ser tomados até 3 vezes por dia.

Estes remédios caseiros para apetite sexual ajudam a aumentar a líbido devido às suas propriedades estimulantes e afrodisíacas que favorecem o fluxo de sangue para os órgãos sexuais dos indivíduos, aumentando o apetite e o desejo sexual e, consequentemente, melhorando a relação entre o casal.

Remédio caseiro para apetite sexual com açaí e guaraná

Um bom remédio caseiro para apetite sexual é com açaí e guaraná porque o açaí é afrodisíaco e o guaraná tem propriedades estimulantes.

Ingredientes

4 polpas de açaí de 100 g cada
Meia caixa de morangos picados
2 litros de água
2 colheres de guaraná em pó
4 colheres de sopa de açúcar mascavo
2 colheres de sopa de mel
1/2 colher de sopa de canela em pó

Modo de preparo

Colocar todos os ingredientes no liquidificador e bater até formar uma mistura homogênea. Beber 1 copo do suco, no mínimo, 3 vezes por dia.

Remédio caseiro para apetite sexual com catuaba e salsaparrilha
O remédio caseiro para apetite sexual com catuaba e salsaparrilha ajuda o indivíduo a ficar com mais apetite sexual pois estas plantas medicinais possuem propriedades estimulantes e afrodisíacas, aumentando o tempo de ereção masculina e a sensibilidade dos órgãos genitais femininos.

Ingredientes

1 colher (de sopa) de casca de catuaba
2 colheres (de sopa) de raiz triturada de salsaparrilha
250 ml de água

Modo de preparo

Colocar a água para ferver juntamente com a catuaba e a salsaparrilha. Depois de fervida, deixar amornar, coar e beber cerca de 2 a 3 xícaras do chá por dia.

Além deste chá, o chá de Yohimbe também é uma ótima opção para aumentar o apetite sexual, veja como preparar em Yohimbe – Planta com Propriedades Afrodisíacas.

Como aumentar a libido naturalmente
Além destes remédios caseiros, outras dicas para aumentar o apetite sexual incluem:

Utilizar alimentos afrodisíacos, como o figo, a banana, o chocolate ou o café;
Manter uma alimentação saudável e fazer exercício físico regular;
Reservar tempo para relaxar e aliviar o estresse;
Dormir, pelo menos, 8 horas por noite;
Procurar novas aventuras durante o contato íntimo;
Evitar a ingestão exagerada de bebidas alcoólicas ou remédios.

Fonte: https://www.tuasaude.com/remedio-caseiro-para-apetite-sexual/

(1) 2 3 4 ... 13092 »