Regionais - PANDEMIA: universitários acumulam dívidas e abandonam cursos - Notícias
« 1 2 3 (4) 5 6 7 ... 16156 »
Regionais : PANDEMIA: universitários acumulam dívidas e abandonam cursos
Enviado por alexandre em 09/07/2020 09:09:53


bruna rubinatoarquivo pessoal - PANDEMIA: universitários acumulam dívidas e abandonam cursos

Universidades privadas admitem que estão perdendo alunos na pandemia, mas garantem que a saída não será acatar os apelos por redução de mensalidades. Do outro lado do boleto, alunos ouvidos pelo G1 apontam insatisfação com as negociações entre empresas e famílias que perderam renda durante a pandemia. Os universitários relatam dívidas, planos para trancar a matrícula e recorrem a ações judiciais e a órgãos de proteção ao consumidor para evitar a evasão.

Com o aumento da inadimplência, as universidades particulares têm demitido professores para manter as contas em dia. Na Uninove, em São Paulo, os professores souberam da demissão quando acessaram as plataformas de aulas. Na Universidade São Judas, alunos lançaram a hashtag #RecuaÂnima contra os cortes no corpo docente do Grupo Ânima de Educação, que gere a instituição. A Cruzeiro do Sul Educacional afirma que também precisou demitir e o sindicato dos professores entrou com uma nova ação no Tribunal Regional do Trabalho (TRT) contra os cortes.

Nesta reportagem você verá detalhes sobre cada um dos pontos do imbróglio. Eles serão contados pelas histórias e visões de alunos e representantes como:

  • Bruna Thaís Rubinato, de 21 anos, estudante de medicina na Universidade Anhembi Morumbi em Piracicaba; ela é um dos quase 600 estudantes que foram à Justiça por redução de mensalidades que podem custar até R$ 10.258,84. Com a renda familiar afetada pela pandemia, já pensa em trancar o terceiro ano de curso.
  • Thais Cristina Tavares, de 23 anos, estudante de direito que se juntou a colegas pedindo #ReduzMackenzie. Com os pais autônomos sem trabalho na pandemia, viu o débito com as mensalidades de R$ 2,4 mil acumular e agora busca alternativa para pagar os atrasados e ter permissão para fazer a matrícula.
  • Marcos (ele prefere não se identificar), de 22 anos, estudante do último ano de administração de empresas na PUC de São Paulo que foi ao Procon e obteve o parcelamento de atrasados de R$ 12 mil e ainda não sabe como vai pagar as mensalidades de R$ 3.022, de julho até dezembro.
  • Thiago Lins, advogado do grupo Laureate (Anhembi Morumbi), que diz que há abertura para negociação dentro da particularidade de cada aluno, mas que a empresa cumpre o contrato de ensino e vai repor aulas práticas perdidas.
  • Sólon Caldas, diretor-executivo da Associação Brasileira de Mantenedoras de Ensino Superior (ABMES), que diz que a entidade é contrária ao desconto linear e horizontal nas mensalidades e que os custos das IES sofreram um aumento significativo na pandemia.

    Evasão (e inadimplência) em crescimento

    A estimativa do Instituto Semesp, mantido pelo Sindicato das Entidades Mantenedoras de Estabelecimentos de Ensino Superior no Estado de São Paulo, é que a evasão do ensino superior cresceu 31,3% entre abril e maio. No mês em que o país terminou com 29 mil mortes por Covid e sem aulas presenciais, 265 mil universitários tinham desistido ou trancado o curso, 65 mil a mais do que no ano anterior. No Brasil, a estimativa é que o setor privado tenha mais de 6 milhões de matrículas em cursos presenciais e EAD.

    A mesma pesquisa apontou que maio foi marcado por uma queda na inadimplência, que cresceu 72% em abril. “Os acordos firmados entre as IES e os alunos que comprovaram dificuldades para pagar as mensalidades, explica essa melhora na inadimplência”, analisa a pesquisa do Instituto.

    A queda na inadimplência foi baseada na principal estratégia construída pelas empresas, que fizeram pesquisas de mercado e viram que a pandemia afetou de forma distinta seus clientes. Pesquisa da Associação Brasileira de Mantenedoras do Ensino Superior (Abmes) aponta que “a perda de renda entre os alunos é real”, mas só 29% sofreu impacto classificado como alto (perda do emprego, contrato suspenso ou redução de 70% da jornada).

    “Somos contrários a um desconto linear igual para todos, porque vai alcançar quem não precisa do desconto e prejudicar quem mais precisa de até mesmo um diferimento no pagamento.” diretor-executivo da ABMES

    Alunos de medicina na Justiça

    Os alunos e pais são contrários a esse posicionamento das empresas. Em diversos estados do país estudantes fizeram como Bruna Thaís, e outros quase 600 alunos de medicina da Universidade Anhembi Morumbi, em três cidades no estado de São Paulo.

    Na Justiça, tentam um desconto de 50% no valor da mensalidade durante a pandemia. Após ter conseguido uma liminar, o grupo sofreu um revés e a tramitação foi paralisada e o mérito será julgado na 37ª Vara Cível do Foro Central junto com outro processo que lá tramita movido pela União Nacional dos Estudantes (UNE). Sem a perspectiva de um julgamento rápido, a preocupação é com a continuidade.

    “Se a faculdade não conceder o desconto, talvez eu tenha que pedir trancamento. (…) Temos medo de perder a vaga na faculdade, se não conseguirmos pagar. Medo de deixar anos de estudo para trás.” – Bruna Thaís

    Bruna e outros estudantes tentam convencer a Universidade que não há como as famílias arcarem com as mensalidades. Segundo ela, há famílias que perderam toda a renda. Além disso, mesmo com aulas on-line, os alunos saem prejudicados ao não poderem cursar as disciplinas práticas — que, aliás, não têm previsão de volta em meio a tantas incertezas sobre o fim da pandemia.

    “E as famílias não pagam só a mensalidade. A maior parte dos alunos não mora nas cidades [onde o curso é oferecido], então eles pagam também aluguel e outras contas”, explica Bruna.

    O advogado Olavo Leonel Ferreira, que representa o grupo de alunos, diz que houve tentativas de conciliação, mas nenhuma resultou em acordo. Segundo ele, a pendência na Justiça mantém famílias em ansiedade, sobretudo às vésperas do início de um novo período letivo.

    “A situação está ficando muito difícil. Mesmo com a situação ainda pendente, a cobrança ainda liga para os pais, com ameaça de negativar os inadimplentes”, conta o advogado.

37 MIL PESSOAS POR DIA: Pandemia deve ampliar em 48% mortes por fome



familiacarente2152201 - 37 MIL PESSOAS POR DIA: Pandemia deve ampliar em 48% mortes por fome

Até o fim de 2020, o número de mortes relacionadas à fome no mundo chegará a 37 mil por dia. A previsão consta no relatório da ONG Oxfam, divulgado ontem, com base em dados da ONU. Em 2019, as mortes diárias em razão da crise alimentar chegaram a 25 mil, mas os efeitos da pandemia devem ampliar em 12 mil o total neste ano – alta de 48%.

O estudo identifica que os casos mais graves se concentram em nove países e uma região onde vivem 65% da população global em situação de crise alimentar. A maior parte está em áreas de conflito, na África e no Oriente Médio, mas países como Brasil, Índia e África do Sul também terão de lidar com aumento da fome. “Veremos um aumento das pessoas passando fome no Brasil e precisamos tomar as medidas necessárias. Agora e depois da pandemia”, afirmou Maitê Guato, gerente de programas da Oxfam Brasil.

De acordo com ela, programas como o auxílio emergencial enfrentam dificuldades para atingir todos os necessitados e milhares de cidadãos não têm celular, acesso à internet ou e-mail para se cadastrar e receber o recurso. “Os impactos sociais e econômicos vão perdurar por um tempo mais longo que a pandemia. Se suspendermos esses auxílios, tanto o emergencial quanto o apoio para manutenção de emprego e renda, empurraremos milhões de pessoas para a extrema pobreza e a fome”, disse.

Para o Brasil, que deixou o Mapa da Fome em 2014, a Oxfam faz um alerta. José Graziano, ex-diretor da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO), sustenta que a fome no Brasil é um problema de acesso. “Produzimos e exportamos em grande quantidade. A questão é como fazer o alimento chegar às pessoas”, afirma.

Na visão dele, o País vem desmontando as políticas públicas de redução da insegurança alimentar, citando a extinção do Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (Consea) como exemplo.

Graziano, ministro petista entre 2003 e 2004, diz ainda que há a necessidade de cooperação entre os setores privado, público e a sociedade civil para chegar a resultados melhores. “Não são os governos que acabam com a fome, são as sociedades. O governo sozinho pode fazer pouco sem o setor privado, que é fundamental no equacionamento de um sistema alimentar mais justo”, afirma.

Em seu relatório, a Oxfam cita seis ações necessárias para reduzir a insegurança alimentar no mundo, que em 2019 afetou a vida de 821 milhões de pessoas – quatro vezes a população do Brasil. Com a pandemia, mais 122 milhões podem entrar na estatística, chegando a mais de 900 milhões de indivíduos em situação de extrema vulnerabilidade.

Uma das medidas propostas é financiar o envio de ajuda humanitária da ONU, considerada fundamental para garantir a vida e a subsistência de milhões em países pobres. Em um contexto de recrudescimento do nacionalismo, a Oxfam considera as ações multilaterais coordenadas.

Um segundo ponto é o fortalecimento de sistemas alimentares, deixando-os mais sustentáveis e menos suscetíveis a interrupções, como fechamento de fronteiras. “Vivemos em um mundo que produz mais alimentos do que seria necessário e ainda assim temos índices altíssimos de fome”, afirmou o economista Walter Belik, professor da Unicamp, especializado em segurança alimentar e um dos criadores do Programa Fome Zero no Brasil.

Neste ano, o FMI prevê queda de 4,9% na economia global, o que acabaria com 300 milhões de empregos em tempo integral e dificultaria o acesso à renda para outros 2 bilhões de trabalhadores informais em todo o mundo. “A pessoa perde trabalho, renda e não tem como ter acessar a comida”, diz Belik.

Segundo o economista, os países deveriam elevar a produção local de alimentos e deixar de depender tanto de exportações. “Seria muito mais viável e saudável produzir localmente, ter circuitos curtos e depender menos de fluxos internacionais. Uma paralisação como essa fez cargueiros ficarem parados em portos e criou crises de abastecimento sérias em muitos países”, afirma Belik, que defende também a criação de estoques estratégicos para que países evitem o desabastecimento.

Em junho, a ONU estimou que a pandemia jogaria mais 49 milhões de pessoas na pobreza extrema. “O número de pessoas expostas a uma grave insegurança alimentar vai crescer rapidamente. A queda de um ponto porcentual no PIB global significa mais 700 mil crianças desnutridas”, disse António Guterres, secretário-geral das Nações Unidas.

Os países em desenvolvimento são particularmente afetados pelo confinamento em razão da dependência que têm da economia informal. Segundo a Organização Internacional do Trabalho (OIT), 1,6 bilhão dos 2 bilhões de trabalhadores informais serão afetados pelas restrição de movimento, a maioria em países da América Latina, Ásia e África.

Fonte: Portal Terra

Créditos: Portal Terra

Regionais : UAU! Rafinha Berger, a ruiva que vai deixar você com água na boca. VEJA FOTOS DA BELA
Enviado por alexandre em 09/07/2020 09:05:25


Rafinha Berger

Rafinha Berger tem 25 anos, é gaúcha e modelo oficial Suicide e posou pela primeira vez para a Revista Guapa Magazine, uma revista digital de ensaios sensuais com mulheres reais.

 

Além da musa ser super descontraída ela mesmo ressalta ser uma pessoa bem determinada e extremamente amorosa com as pessoas que ela ama.

 

Quando não está criando seus conteúdos eróticos, a ruiva estuda psicologia. 

 

Veja também

 

Stacey Carlaa, arriscou uma carreira de modelo e agora chega ao mundo pela sua webcam. VEJA FOTOS DA BELDADE

 

Conheça Anastasiya Kvitko, a musa deliciosa Kim Kardashian da Rússia. VEJA FOTOS DA BELDADE

Rafinha Berger

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Rafaela Berger

 

Rafinha Berger

Fotos: Reprodução

 

Testosterona



Rafa Kalimann diz ser 'fiel a contatinho' e fala sobre suposta bissexualidade. CONFIRA O VÍDEO

Compartilhar:
Foto: Divulgação

Influencer, que participou do

Rafa Kalimann abriu o jogo em seu canal do YouTube e respondeu suposições de seus fãs. No vídeo, publicado nesta quarta-feira (8), a influencer, que participou do BBB 20, falou sobre a impressão de ser "pegadora", respondeu um questionamento sobre sua sexualidade, pontuou as plásticas que já fez e abriu o closet com 134 pares de sapatos. Rafa ainda contou que, na galeria de seu celular, tem atualmente 90 mil fotos.

 

"Suponho que você seja muito pegadora", afirma um fã. "Eu achava que eu era meio doidinha, sabe? Um pouquinho fora da casinha, um pouco fora da curva. Hoje eu percebo que sou muito quieta. Sou fiel a contatinho. Não sou muito pegadora, não", responde Rafa.

 

"Suponho que você tenha plástica", diz este. "Várias! Tenho bichectomia, tenho plástica na orelha, que era de abano, lipo na barriga e silicone no peito", conta.

 

Veja também

 

Ex-marido de Rafa Kalimann fala sobre traição no casamento. VEJA

 

Rafa Kalimann faz ensaio em casa: 'Vejo flores com cheiro de amor pra todo lado'. VEJA FOTOS

"Suponho que você seja bissexual e não quer falar", diz este outro. "Eita! Mas não, gente. Eu gosto muito de homem, entendeu? Eu gosto real", explica Rafa.

 

Rafa Kalimann abre closet de sapatos (Foto: Reprodução/YouTube)

 

Em outro momento do vídeo, Rafa se levantou para mostrar o closet de sapatos, e exibiu sua coleção de sandálias de salto alto, além de tênis e rasteiras. 

 

Rafa Kalimann abre closet de sapatos (Foto: Reprodução/YouTube)

 

Rafa Kalimann abre closet de sapatos (Foto: Reprodução/YouTube)

Fotos: Reprodução 

VEJA VÍDEO:https://portaldozacarias.com.br/site/noticia/rafa-kalimann-diz-ser--fiel-a-contatinho--e-fala-sobre-suposta-bissexualidade.-confira-o-vadeo/

Regionais : Festa com 25 pessoas em motel é interrompida pela polícia
Enviado por alexandre em 09/07/2020 09:03:00


motel - Festa com 25 pessoas em motel é interrompida pela polícia

Uma festa com cerca de 25 pessoas dentro de um motel terminou em caso de polícia na noite de ontem em Aparecida de Goiânia, na região metropolitana da capital de Goiás. O evento no Motel Eros foi interrompido pela Secretaria de Meio Ambiente (Semma), com o apoio da Polícia Militar, graças ao decreto municipal que impede aglomeração de pessoas nesse período de combate ao coronavírus.

O organizador do evento, que não teve o nome revelado, foi multado em R$ 20 mil. Segundo a prefeitura de Aparecida de Goiânia, ele é reincidente e teria organizado uma festa de luxo em uma chácara da cidade na última segunda-feira, com aproximadamente 100 pessoas.

Quem estava sem máscara na festa também foi multado em R$ 106, como determina a lei de uso obrigatório do item de proteção. O estabelecimento pode ser interditado e foi autuado pelos fiscais em R$ 10 mil. No local havia bebidas alcoólicas, mesa de sinuca e aparelhos de som, que foram apreendidos.



uol

Regionais : Blogueiro de Campina Grande - Paraíba é listado como do ‘Gabinete do ódio’ e seu perfil cancelado – ENTENDA
Enviado por alexandre em 09/07/2020 09:01:36


Gabinete do ódio na Paraíba: Facebook deleta 73 perfis bolsonaristas e paraibano é citado entre os autores

xtercio.jpg.pagespeed.ic .g A7PC0Eka - QUEM É ELE ? Blogueiro de Campina Grande é listado como do 'Gabinete do ódio' e seu perfil cancelado - ENTENDA

O paraibano Tércio Arnaud Tomaz foi citado no relatório do Facebook, nesta quarta-feira (8), quando foi anunciada a remoção, pela plataforma, de 73 contas falsas ligadas a aliados do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Tércio  ganhou espaços no staff bolsonarista a partir do vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ). Depois de atuar como assessor do filho do presidente, em 2017, atuou na campanha em 2018 e foi nomeado assessor do presidente, em 2019.

Pesquisadores americanos do Digital Forensic Research Lab (DRFLab) identificaram que ele é o responsável pela página Bolsonaro Opressor 2.0, com mais de 1 milhão de seguidores, e pela conta @bolsonaronewsss, no Instagram, com 492 mil seguidores e 11 mil posts.

As páginas, segundo o Facebook, publicavam “memes e conteúdo pró-Bolsonaro enquanto atacavam rivais políticos (…) O conteúdo era enganoso em muitos casos, empregando uma mistura de meias-verdades para chegar a conclusões falsas”.

Elas foram removidas, no entanto, não por causa do conteúdo, mas porque os responsáveis estavam se escondendo atrás de perfis falsos, de forma coordenada.

Além de Tércio, de 31 anos, compõem o grupo comandado por Carluxo os assessores José Matheus Sales Gomes, 26, e Mateus Matos Diniz, 25. Eles ficam no terceiro andar do Palácio do Planalto, numa sala a poucos metros do gabinete do presidente.

Além da página “Bolsonaro Opressor 2.0”, seguida por mais de 1 milhão de pessoas no Facebook, foi identificada a conta @bolsonaronewsss, também sob administração de Tércio, com 492 mil seguidores e mais de 11 mil publicações. De acordo com o estudo, muitas dessas postagens feitas por Tércio foram publicadas durante o horário comercial, ou seja, podem ter sido feitas durante o expediente dele no Planalto.

Opressor 2.0

Em março do ano passado, o perfil promoveu críticas pesadas à vereadora Marielle Franco um dia depois do seu assassinato, no bairro Estácio, no Rio. Em um post em que publicou uma matéria que anunciava a intenção da irmã de Marielle de se lançar na política, a legenda dizia: “Do jeito que tá indo, vão empalhar o cadáver e levar em comício”. A publicação foi posteriormente apagada.

Formado em biomedicina em uma faculdade de Campina Grande, Tercio trabalhava como recepcionista em um hotel antes de atuar nos gabinetes de Bolsonaro, em Brasília, e de Carlos, no Rio.



uol

Regionais : Prova do Enem 2020 será em janeiro de 2021
Enviado por alexandre em 09/07/2020 08:55:31


Candidatos se preparam para o Enem 2020 em tempos de pandemia — Foto: Agência Brasil

As provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020 deverão serão aplicadas em janeiro e fevereiro de 2021, anunciou o Ministério da Educação, MEC, nesta quarta-feira (08).

As provas escritas serão aplicadas nos dias 17 e 24 de janeiro, enquanto que as provas do exame na versão digital serão em 31 de janeiro e 7 de fevereiro. A reaplicação das provas acontecerão em 24 e 25 de fevereiro. Os resultados serão divulgados na internet a partir de 29 de março.

O anúncio foi feito pelo secretário-executivo do Ministério da Educação (MEC), Antonio Paulo Vogel, e o presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), Alexandre Lopes, durante coletiva de imprensa, em Brasília.

“Entendemos que essa decisão não seja perfeita e maravilhosa para todos”, afirmou Vogel. “Mas buscamos uma decisão técnica, que melhor se adequava para todos.”

Segundo o MEC, a data não prejudicará o ingresso dos aprovados nas universidades no primeiro semestre de 2021.

“Se a gente deixasse para maio do ano que vem, os ingressos [nas faculdades] seriam somente no segundo semestre do ano que vem”, justificou Vogel, afirmando que o Enem é o motor de uma engrenagem importante do ensino superior, pois é usado em outros exames, como o Sisu.

O secretário-executivo do MEC também afirmou que um segundo Sistema de Seleção Unificada, Sisu, poderá ser aplicado em 2021. Continue lendo


https://medias.cnnbrasil.com.br/v1/proxy?image=https%3a%2f%2fmediastorage.cnnbrasil.com.br%2fIMAGES%2f00%2f00%2f00%2f4750_1C1E49467467CC3F.jpg&resize=CROP&format=&width=552&height=310&rotate=0&flip=false&flop=false&blur=0&brightness=1&saturation=1&hue=0&addColor=&contrast=1&cropWidth=3500&cropHeight=1966&posX=0.5&posY=0.4652174

CNN Brasil

O Facebook anunciou nesta quarta-feira (08) a remoção de contas e páginas relacionadas a assessores da família Bolsonaro. Segundo comunicado divulgado pela rede social, as investigações envolvem “comportamento inautêntico coordenado no Brasil a partir de notícias na imprensa e referências durante audiência no Congresso”. 

Isso, segundo a rede social, quer dizer que “grupos de páginas ou pessoas atuam juntas para enganar os outros sobre quem eles são ou sobre o que estão fazendo”. Isso pode ser feito por motivos políticos, ideológicos ou comerciais. De acordo com a empresa, as postagens não precisam ser necessariamente falsas.

Ainda segundo o comunicado, as investigações encontraram ligações de pessoas associadas ao PSL e a “alguns funcionários nos gabinetes de Anderson Moraes, Alana Passos, Eduardo Bolsonaro, Flávio Bolsonaro e Jair Bolsonaro”.

A ação do Facebook contra o “comportamento inautêntico coordenado” também atingiu outras contas nos EUA, Canadá, Ucrânia e Equador. Trata-se de uma reação da rede social à perda de anunciantes, que têm pressionado o Facebook a tomar medidas concretas para impedir o avanço do que consideram como discursos que incentivam o ódio e a desinformação. 

Procurado, o PSL disse que “não é verdadeira a informação de que sejam contas relacionadas a assessores do PSL, e sim de assessores parlamentares dos respectivos gabinetes, sob responsabilidade direta de cada parlamentar, não havendo qualquer relação com o partido”. Continue lendo

« 1 2 3 (4) 5 6 7 ... 16156 »