Regionais - Juiz manda filho de desembargadora de volta à cadeia - Notícias
« 1 (2) 3 4 5 ... 12245 »
Regionais : Juiz manda filho de desembargadora de volta à cadeia
Enviado por alexandre em 23/11/2017 10:00:52

Juiz manda filho de desembargadora de volta à cadeia



Suspeito de integrar uma quadrilha especializada em contrabando de armas, Breno Fernando Solon Borges, filho da desembargadora Tania Garcia Freitas Borges, presidente do Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul (TRE-MS), foi preso novamente nesta quarta-feira (22).

A prisão preventiva foi determinada pelo juiz da 2ª Vara Criminal de Três Lagoas, Ronaldo Gonçalves, e o empresário encaminhado para a Penitenciária de Segurança Média da cidade, de acordo com publicação da JP News.

Breno estava internado numa clínica médica no município de Atibaia (SP) desde 25 de julho deste ano, e a decisão judicial atende a pedido feito pelo Ministério Público Estadual (MPE), em conjunto com a Polícia Federal. Nesta quarta, os agentes federais encaminharam Breno para a penitenciária de Três Lagoas.

A investigação que envolve o empresário culminou na operação "Cérberus", deflagrada pela PF em 13 de junho, no combate a uma organização criminosa. Isso porque Breno foi flagrado, em Água Clara, transportando 129,9 kg de maconha e 270 munições, no mês de abril.

Ele foi preso e conseguiu liberdade após obter na justiça liminar em habeas corpus alegando que não tinha envolvimento com os crimes. Vale lembrar que as investigações tiveram início em março, quando o líder da organização orquestrou uma tentativa de fuga da Penitenciária de Segurança Média de Três Lagoas, com o uso de uma pistola calibre ponto 380.

Após análises dos celulares apreendidos, com autorização judicial, constatou que Breno auxiliaria na fuga do preso, em Três Lagoas, inclusive chegou a deslocar-se até a cidade para a ação criminosa.

Contudo, o empresário obteve na Justiça a internação na clínica após apresentar laudos médicos de que sofria da síndrome de Bordeline (transtorno de personalidade limítrofe, que resulta em mudanças súbitas de humor, medo de ser abandonado e comportamento impulsivos). (BR 247)

Mais Notícias : PF cumpre mandados de prisão em nova fase da Lava Jato
Enviado por alexandre em 23/11/2017 09:59:22

PF cumpre mandados de prisão em nova fase da Lava Jato

Postado por Magno Martins

Régis Fichtner, (Foto) ex-chefe da Casa Civil, e o empresário George Sadala estão entre os alvos de mandados de prisão.

Arthur Guimarães, Bom Dia Rio

A Polícia Federal está nas ruas na manhã desta quinta-feira (23) para cumprir cinco mandados de prisão em mais uma fase da Operação Lava Jato no Rio. A ação é um desdobramento das investigações da Operação Calicute, desencadeadaa em novemnro do ano passado e que resultou na prisão do ex-governador Sérgio Cabral. Dos cinco mandados de prisão, dois são para o mesmo suspeito. Os agentes também visam cumprir mandados de condução coercitiva e de busca e apreensão.

Foram expedidos mandados de prisão contra Régis Fichtner, ex-chefe da Casa Civil, e contra o empresário George Sadala. Os agentes chegaram ao endereço de Fichtner, um dos prédios mais luxuosos da Avenida Vieira Souto, em Ipanema, pouco antes das 6h. George Sadala é um dos empresários que aparece em uma foto com o ex-governador Sérgio Cabral em um restaurante em Paris. A foto ficou conhecida como Farra dos Guardanapos.

Sadala era um dos sócios de empresas suspeito de explorar o serviço Rio Poupa Tempo e também era representante de um banco que fazia empréstimos consignados para servidores públicos. Quem também mora no prédio é Alexandre Accioly, empresário que é dono de uma rede de academias.

O ex-chefe da Casa Civil do governo Cabral foi citado no depoimento de Luiz Carlos Bezerra, um dos operadores financeiros do esquema criminoso. Bezerra disse aos procuradores da Lava Jato que deu dinheiro para o ex-chefe da Casa Civil. Nas anotações do operador, Fichtner era conhecido como “Alemão” ou “Gaúcho”.

A polícia chegou na casa de Henrique Alberto Santos Ribeiro, contra quem há dois mandados de prisão, atuou como presidente do Departamento de Estradas e Rodagens (DER-RJ) durante o governo de Cabral.



Temer joga R$ 15 bihões no ralo e apregoa o colapso

Relator da Previdência, Arthur Maia expõe a versão light da reforma durante jantar no Alvorada



Blog do Josias

Os deputados que aceitaram o convite de Michel Temer para jantar no Alvorada na noite passada foram submetidos a uma atmosfera indigesta. Ecoado pelo ministro Henrique Meirelles (Fazenda) e por economistas como Marcos Lisboa, o anfitrião trovejou sobre os comensais previsões apocalípticas. Temer declarou no discurso de abertura que a economia sofrerá um “colapso” se a reforma da Previdência não for aprovada. Horas antes, o orador autorizara sua infantaria legislativa a aprofundar o rombo previdenciário em pelo menos mais R$ 15 bilhões.

Enquanto os deputados digeriam a versão lipoaspirada da proposta previdenciária, exposta no Alvorada pelo relator Arthur Maia, o Congresso, reunido em sessão conjunta da Câmara e do Senado, derrotava o presidente. Derrota consentida por Temer. A pretexto de obter o apoio de prefeitos à reforma, o presidente concordara com a derrubada de um veto de sua autoria. Com isso, foi ressuscitada uma mágica chamada “encontro de contas”. Prevê que prefeituras penduradas na Previdência poderão abater de suas dívidas os créditos que afirmam ter no governo.

O veto de Temer havia sido encomendado pela equipe econômica. A perda de R$ 15 bilhões é uma estimativa otimista. Numa conta mais salgada, feita pela Confederação Nacional dos Municípios, estima-se que a renegociação reduza as dívidas das prefeituras em até 50%. O espeto cairia de R$ 75 bilhões para algo como R$ 45 bilhões. Nessa matemática, a União deixaria de receber R$ 30 bilhões.

Com as prefeituras quebradas, esses recebimentos eram incertos, diz um apologista de Temer. O importante é aprovar a reforma, acrescenta. O diabo é que nada insinua, por ora, que a Previdência será reformada no atual governo. O Planalto precisa de pelo menos 308 votos na Câmara. Auxiliares de Temer sustentam que ele já dispõe de algo como 250 votos. Juram que compareceram ao jantar do Alvorada quase 200 votos. Quem esteve no recinto contou algo como uma centena de deputados.

Antes do repasto, o governista Fábio Ramalho (PMDB-MG), vice-presidente da Câmara, revelou o que enxerga em sua bola de cristal: “Ninguém vai votar a reforma da Previdência. Se tiver 100 votos é muito.” Para desassossego de Temer os prefeitos não votam no Congresso. Os governadores, com quem o presidente almoçou, também já não têm tanta ascendência sobre suas bancadas. pouco já não controlam suas bancadas. Mal comparando, Temer vai ganhando a aparência do sujeito que vende o carro para comprar gasolina.



Senado convida o diretor da PF para se explicar



Blog do Josias

A Comissão de Direitos Humanos do Senado aprovou nesta quarta-feira convite para que o novo diretor-geral da Polícia Federal, Fernando Segovia, dê explicações sobre sua nomeação para o cargo e seus planos em relação à Operação Lava Jato. Deve-se a iniciativa ao senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP).

O requerimento menciona a necessidade de que Segovia preste esclarecimentos também sobre sua proximidade política com investigados do PMDB. Nomeado pelo denunciado Michel Temer, o delegado foi alçado à nova função com o apoio do ministro palaciano Eliseu Padilha e do ex-senador José Sarney, ambos alvos da Lava Jato.

Há três dias, depois de ser empossado no cargo em cerimônia com a inédita presença do presidente da República, Segovia levantou dúvidas sobre a investigação que resultou nas denúncias da Procuradoria contra Temer por corrupção passiva, obstrução à Justiça e formação de organização criminosa.

Disse o novo chefe da PF: ''A gente acredita que, se fosse sob a égide da Polícia Federal, essa investigação teria de durar mais tempo, porque uma única mala talvez não desse toda a materialidade criminosa que a gente necessitaria para resolver se havia ou não crime, quem seriam os partícipes e se haveria ou não corrupção.''

Aceitando o convite da comissão do Senado, o delegado poderá esclarecer com quantas malas recheadas de propina se faz uma evidência de corrupção.

Mais Notícias : Candidatura de Joaquim Barbosa gera tensão no PSB
Enviado por alexandre em 23/11/2017 09:57:24

Candidatura de Joaquim Barbosa gera tensão no PSB



Mônica Bergamo - Folha de S.Paulo

A eventual candidatura de Joaquim Barbosa pelo PSB, em 2018, já causa tensão no partido. Um grupo de socialistas se prepara para lançar o ex-deputado Aldo Rebelo para a Presidência, nesta quinta (23), durante filiação de deputados à legenda.

"Eu nem acredito nisso. Mas, se for verdade, vou cancelar a viagem e nem vou ao Paraná", diz o presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira. "Como alguém [Aldo] que acabou de entrar no partido quer ser candidato sem debater com a nossa direção?" Siqueira conversa com Joaquim Barbosa sobre a eventual candidatura em 2018.

Aldo Rebelo diz que não está se lançando candidato.

Huck

Também a candidatura de Luciano Huck segue gerando ruídos. O movimento Agora!, ao qual ele se integrou recentemente, diz que a proposta de Roberto Freire, presidente do PPS, para uma fusão com a legenda em torno do apresentador, revelada pela coluna "Painel", foi levada às reuniões internas. Mas não chegou a ser debatida já que o grupo não quer virar um partido.



Ex-assessor vai provar que devolvia salário a Geddel



Um dos ex-assessores da família do ex-ministro Geddel Vieira Lima (PMDB) e do deputado Lúcio Vieira Lima (PMDB-BA), Job Ribeiro pretende entregar à Polícia Federal e à PGR (Procuradoria-Geral da República) extratos para provar que devolvia parte de seu salário da Câmara para os políticos.

Ele disse que prestou serviços à família por 28 anos e, apesar de exercer o cargo de assessor parlamentar, fazia serviços pessoais para os irmãos —como ir ao supermercado, cuidar de fazendas e da saúde do pai de Geddel

Em prisão domiciliar desde o fim de outubro, o auxiliar encontrou alguns registros de transferências bancárias que fez ao longo dos últimos cinco anos em nome de parentes de Geddel.

Em depoimento à PF, no dia 14 de novembro, Ribeiro disse que ficava com cerca de R$ 2.500 por mês e devolvia cerca de R$ 9.000 para a família dos políticos durante todo o período que trabalhou na Câmara dos Deputados.

Procurado pela Folha, o advogado de Job, Marcelo Ferreira, confirmou a pretensão de apresentar os documentos e disse que, além da movimentação entre contas, os registros mostram um "modus operandi" do que acontecia mensalmente.

Segundo Ferreira, os extratos revelam que havia um padrão de saques nas horas seguintes do depósito do salário a cada mês. (Folha de S.Paulo - Camila Mattoso e Letícia Cardoso)

Mais Notícias : Aprovação a Huck dispara: 60%, mostra nova pesquisa
Enviado por alexandre em 23/11/2017 09:56:21

Aprovação a Huck dispara: 60%, mostra nova pesquisa

Postado por Magno Martins

Conforme o Barômetro Político Estadão-Ipsos, apresentador é a personalidade com a melhor avaliação entre os 23 nomes relacionados pelo instituto aos entrevistados

Agência Estado

O apresentador de televisão Luciano Huck, cujo nome tem circulado como possível candidato à Presidência da República, teve melhora significativa de imagem nos últimos dois meses. Segundo a pesquisa Barômetro Político Estadão-Ipsos, a aprovação ao nome de Huck apresentou um salto de 17 pontos porcentuais desde setembro, passando de 43% para 60%. Já a desaprovação caiu de 40% para 32% no mesmo período.

Com isso, Huck passou a ser a personalidade com a melhor avaliação entre as apresentadas pelo Ipsos aos entrevistados. Todos os demais 22 nomes do Barômetro Político deste mês, porém, são do mundo político ou do Poder Judiciário, mais sujeitos ao desgaste do noticiário.

A pesquisa Ipsos não é de intenção de voto. O que os pesquisadores dizem aos entrevistados é o seguinte: “Agora vou ler o nome de alguns políticos e gostaria de saber se o (a) senhor (a) aprova ou desaprova a maneira como eles vêm atuando no País”.

“Não me surpreende que Luciano Huck tenha melhorado em aprovação”, disse Danilo Cersosimo, diretor do Ipsos. “Esse salto tem muito a ver com o fato de seu nome ter sido cogitado como candidato e de ele próprio ter dado indícios de que gostaria de concorrer. Mas o ponto é se isso vai se converter em votos. Se a eleição fosse hoje, ele teria um desempenho razoável, mas não esse cacife todo.”

Para Cersosimo, por mais que Huck seja simpático para uma parcela considerável da opinião pública, seus indicadores de aprovação não diferem muito dos de outras celebridades televisivas. “As pessoas estão avaliando um Luciano Huck que aparece há 15 ou 20 anos na televisão”, observou o diretor do Ipsos. “Ele não tem a imagem desgastada por embates políticos, ainda não foi testado em um debate, por exemplo.”

Evolução. Entre os presidenciáveis, o primeiro a aparecer no ranking de aprovação do Barômetro Político, depois de Huck, é Luiz Inácio Lula da Silva (PT), com 43% de avaliação positiva e 56% de negativa. As taxas do ex-presidente estão em tendência de melhora paulatina desde junho. A eventual candidatura de Lula, porém, depende da Justiça – uma condenação em segunda instância pode inviabilizar legalmente sua participação na campanha.

Em empate técnico com Lula está o ex-presidente do Supremo Tribunal Federal Joaquim Barbosa, que foi convidado pelo PSB a disputar a Presidência, embora nunca tenha manifestado em público essa intenção. Barbosa tem 42% de aprovação.

Marina Silva (Rede) apresentou oscilação de 36% para 35% em sua avaliação positiva nos últimos dois meses. A desaprovação subiu de 51% para 56%.

O prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), voltou a perder apoio na opinião pública: sua avaliação negativa subiu de 56% para 63%. A taxa de aprovação ao governador Geraldo Alckmin (PSDB) oscilou de 22% para 24%.

O juiz Sérgio Moro, titular da 13.ª Vara Federal de Curitiba e conhecido por sua atuação no julgamento de acusados da Operação Lava Jato, foi aprovado por 50% dos entrevistados neste mês.

Marun tem a cara do Governo Temer

O futuro ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun, tem a cara do Governo Temer. É um daqueles personagens comuns que se encontra constantemente nos corredores da Câmara dos Deputados. Não tem grande expressão nem pensamento político. É um bonachão quase folclórico, e só foi escolhido para o cargo de articulador do Planalto porque fará tudo que o chefe mandar. Um verdadeiro cão de guarda.

Marun se notabilizou no noticiário nacional justamente por ser um dos maiores - talvez o maior - defensor do presidente na guerra contra o ex-procurador-geral da República, Rodrigo Janot. A sobrevivência de Temer no Plenário da Câmara se deve muito à atuação de Carlos Marun, que vai acabar premiado com o status de ministro. Portanto, não se espera nada dele além do que defesa cega do presidente moribundo a quem serve.

Vai entrar para a história do Brasil no mesmo capítulo dos Eliseus Padilhas e Moreiras Francos que formam o primeiro time de Temer. É, no final das contas, uma cria do Centrão, que já pressionava o presidente por mais espaço na Esplanada dos Ministérios. Antes do presidente da República, servia a outro senhor: o ex-deputado Eduardo Cunha, que hoje está preso. Deputado de primeiro mandato, Carlos Marun é gaúcho, filiado ao PMDB, mas que fez carreira pelo Mato Grosso do Sul. Antes de chegar à Câmara Federal, foi vereador em Campo Grande, deputado estadual e secretário de Habitação e Cidades.

IMBASSAHY - O antecessor de Carlos Marun na Secretaria de Governo, Antônio Imbassahy, que agoniza no cargo, é justamente o oposto do novo ministro. Pensava politicamente as ações do Governo Temer, mas foi fritado pelo Centrão, sedento por poder. A saída de Imbassahy, ainda que não oficializada, diminui o feudo do PSDB na atual administração, reforçando a corrente do partido que quer independência de Temer para lançar candidato ao Planalto em 2018.

GAFE - O Palácio do Planalto postou "por engano" em seu perfil oficial no Twitter um aviso da posse do deputado Carlos Marun na Secretaria de Governo. A mensagem, publicada às 16h51, foi posteriormente apagada. A culpa não foi atribuída a um estagiário, mas a um funcionário terceirizado da agência de publicidade Isobar, que cuida das redes sociais do Planalto. Sei.

NOMEAÇÃO - Segundo interlocutores do presidente, a nomeação de Carlos Marun só acontecerá após a votação da Reforma da Previdência. O próprio deputado chegou a soltar nota à imprensa tentando despistar sua indicação. A questão é que Temer quer a continuidade de Imbassahy como ministro. Especula-se a ida dele para a pasta de Direitos Humanos, espaço tucano, no lugar de Luislinda Valois, aquela mesma que pediu para acumular o salário de ministra com o de desembargadora aposentada.

CIDADES - Quem tomou posse, ontem, foi o novo ministro das Cidades, Alexandre Baldy (sem partidoGO), que chega à Esplanada dos Ministérios chancelado pelo presidente da Câmara Federal, Rodrigo Maia. Para o desprazer da tropa de choque palaciana, Maia tem aumentado sua influência no Congresso e, com isso, seu espaço político. A mudança também agrada o Centrão, que não para de barganhar poder em troca da garantia de apoio na votação da reforma da Previdência.

Curtas -

CULTURA - O vereador do Recife, Alcides Teixeira Neto pretende implementar o projeto “Cultura nas Praças” na capital pernambucana - PLO 350/2017. A proposição, que está tramitando na Casa José Mariano, engloba a exibição de filmes, apresentações culturais, encenação de peças teatrais, manifestações folclóricas e artesanato, entre outras atividades. Boa iniciativa iniciativa do vereador, que tem um trabalho consolidado em Santo Amaro, bairro onde é muito querido.

AUDITORIA - A metodologia utilizada pela Secretaria da Controladoria-Geral do Estado (SCGE) para as atividades de auditoria e certificação das Tomadas de Contas Especiais (TCEsp) vem trazendo resultados expressivos para Pernambuco. Entre janeiro e setembro deste ano, foram certificados 89 processos, que podem gerar um retorno em potencial aos cofres públicos de R$ 6,6 milhões. Até agora, o quantitativo de certificações alcançou um incremento de 48%, comparado com todo o exercício de 2016.

SEGURANÇA - Na tarde de ontem, a deputada Roberta Arraes esteve com Alexandre Filho e o vereador de Araripina, Francisco Edivaldo, na Secretaria de Defesa Social, em reunião com o secretário Antônio de Pádua, de onde saiu com boas notícias para a segurança do Sertão do Araripe. O titular da SDS informou à parlamentar que, em breve, estarão chegando na região o Departamento de Repressão Ao Narcotráfico (Denarc) e um núcleo de Gerência Geral da Polícia Científica, com instalações no município de Ouricuri.

Perguntar não ofende: A perda de mais um ministério não vai sacramentar o desembarque tucano do Governo Temer

Mais Notícias : Na Papuda, mas comendo do bom e do melhor
Enviado por alexandre em 23/11/2017 09:54:23

Na Papuda, mas comendo do bom e do melhor



Preso desde julho no ano passado na Papuda (DF), Lúcio Funaro aproveita as idas à Justiça Federal em Brasília para comer bem. Na terça (21), o corretor pediu um prato do Lakes – um dos restaurantes mais caros da capital federal. A observação é de Daniela Lima, na coluna Painel, da Folha de S.Paulo desta quinta-feira.

Enquanto isso, a defesa do deputado estadual Jorge Picciani (PMDB-RJ) ingressou nesta quarta (22) com um habeas corpus no STJ.

Argumenta que sua prisão fere a Constituição.

Em outra frente, colegas da Alerj articulam recurso ao STF contra a decisão que o devolveu à cela.

Anti-Aécio: Tasso admite recuar em favor de Alckmin



O senador Tasso Jereissati (CE) admite abrir mão da candidatura à presidência do PSDB para que o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, assuma o posto. O grupo ligado ao cearense diz que o partido não pode correr o risco de eleger Marconi Perillo (GO), alinhado a Aécio Neves (MG) e a Temer.

Em conversa com Fernando Henrique Cardoso, semana passada, Tasso avisou que abriria mão da disputa em prol de Alckmin.

O gesto de Tasso ocorre após a definição do colégio eleitoral que escolherá o próximo presidente da sigla. O plano dos aliados do senador é anunciar o apoio a Alckmin após o registro da chapa única do novo diretório nacional, na segunda (27). (Daniela Lima - Painel - Folha de S.Paulo)

« 1 (2) 3 4 5 ... 12245 »