Mais Notícias - Mourão revela que golpismo ainda ronda o Exército - Notícias
« 1 (2) 3 4 5 ... 11925 »
Mais Notícias : Mourão revela que golpismo ainda ronda o Exército
Enviado por alexandre em 19/09/2017 08:20:42

Mourão revela que golpismo ainda ronda o Exército

Postado por Magno Martins

General que defendeu hipótese de intervenção militar merece repreensão

Kennedy Alencar

O general Antonio Hamilton Mourão deveria ser grato por não estarmos na ditadura que ele defendeu. Em evento da maçonaria na sexta, em Brasília, Mourão, que é secretário de Economia e Finanças do Exército, disse que, se as instituições falharem no combate à corrupção, especialmente o Judiciário, os militares vão “impor uma solução” que “não será fácil”.

Mourão disse que a ditadura militar de 64 sofreu ataques covardes e que isso marcou sua geração no Exército. Foi muito claro ao afirmar que o Exército poderia dar um golpe e que sua visão coincidia com a do alto escalão da sua força. Ele respondia a uma pergunta sobre a possibilidade de intervenção militar nos dias de hoje.

Ora, se Mourão tivesse dado essa declaração na ditadura militar provavelmente acabaria preso e correria o risco de ser torturado e morto, como aconteceu com as vítimas de 1964. A Comissão da Verdade reconheceu a morte e o desaparecimento de 434 pessoas durante a ditadura.

A democracia é tão boa que evitará que o general Mourão tenha destino semelhante. É chocante, mas não surpreende, a persistência dessa mentalidade golpista no Exército.

As Forças Armadas engoliram à força a Comissão da Verdade, que investigou violações aos direitos humanos no Brasil entre 18 de setembro de 1946 e 5 de outubro de 1988, período no qual está incluída a ditadura militar que durou de 1964 a 1985. Até hoje há suspeita de que provas de crimes contra os direitos humanos foram escondidas pelos militares e assim permanecem.

As Forças Armadas nunca se desculparam pelo golpe que aplicaram no Brasil.

Obviamente, o comando do Exército, o Ministério da Defesa e o presidente Michel Temer precisam repreender, como manda a boa disciplina militar, esse ato de insubordinação do general Mourão em relação à Constituição do país. Se houver a reprimenda, certamente não será ao molde de 64.

Mais Notícias : Executiva do PT abre processo para expulsar Palocci
Enviado por alexandre em 19/09/2017 08:19:58

Executiva do PT abre processo para expulsar Palocci

Postado por Magno Martins

Folha de .Paulo

O Comando do PT de Ribeirão Preto decidiu abrir processo para expulsão do ex-ministro Antonio Palocci. Em reunião realizada nesta segunda-feira (18), foi unânime a decisão pela abertura de processo no conselho de ética do partido, que se reunirá ainda esta semana.

Embora já tenha chamado Palocci de preso político, o presidente do PT de Ribeirão Preto, Fernando Tremura, encaminhou seu voto pelo desligamento do ex-ministro, sob o argumento de que ele foi obrigado a mentir em troca de benefícios na operação Lava Jato.

Apesar da decisão, integrantes do comando partidário têm procurado parentes de Palocci para que ele tome a iniciativa de se desfiliar encerrando o debate interno. Mesmo contrariado com o depoimento de Palocci, Tremura diz que é com tristeza que conduz o processo de expulsão. "É um relacionamento antigo", disse Tremura, segundo quem "Palocci poderá se desfiliar a qualquer momento".

Segundo petistas, Tremura resistia à abertura de procedimento no conselho de ética. O presidente estadual do PT, ex-ministro Luiz Marinho, determinou, porém, prazo de dez dias para que o diretório municipal abrisse o processo. Do contrário, o comando estadual assumiria a tarefa. A decisão de Marinho aconteceu após uma reunião no instituto Lula.

Uma das preocupações no partido é com Dona Antonia, mãe de Palocci. Segundo petistas, Dona Toninha estaria muito abalada desde a prisão do filho, sendo obrigada inclusive a mudar de endereço. Militante partidária, ela tem se trancado em casa, ainda segundo relato de petistas.

Numa tentativa de se reerguer após o impacto do depoimento de Palocci ao juiz Sérgio Moro, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva reuniu seus colaboradores na tarde desta segunda para organização de uma nova caravana. Desta vez, em Minas Gerais. Em outubro, a comitiva deverá percorrer a região de Montes Claros, Murici, Vale do Jequitinhonha, Vale do Aço, do Rio Doce e Região Metropolitana.

Comissão abre processos sobre Moreira e Padilha



Ministros da Secretaria-Geral e da Casa Civil foram denunciados pelo crime de organização criminosa, assim como Temer e outros peemedebistas. Saiba o que os ministros disseram sobre o caso.

Guilherme Mazui, G1, Brasília

A Comissão de Ética Pública da Presidência informou nesta segunda-feira (18) ter aberto dois processos para apurar a conduta do ministro da Secretaria-Geral, Moreira Franco (PMDB-RJ). A comissão também decidiu pedir esclarecimentos ao ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha (PMDB-RS). Moreira Franco e Eliseu Padilha foram denunciados pela Procuradoria Geral da República, na semana passada, pelo crime de organização criminosa, assim como o presidente Michel Temer e outros peemedebistas.

Procurada pelo G1, a assessoria de Padilha informou que o ministro ainda não havia recebido pedido de esclarecimento e que, quando e se receber, "vai demonstrar que tal denúncia se encontra amparada em delações incomprovadas". A assessoria da Secretaria-Geral informou que Moreira Franco não vai comentar o assunto.

Segundo a Procuradoria Geral, a suposta organização criminosa formada por Temer e integrantes do PMDB atuou em ministérios e em estatais para obter propina.

De acordo com a comissão, contudo, fatos relacionados ao presidente da República não podem ser, por lei, apurados pelo grupo.

Moreira Franco

Conforme o presidente da Comissão de Ética, Mauro Menezes, foram abertos dois procedimentos sobre Moreira Franco referentes ao período em que ele ocupou uma das vice-presidências da Caixa Econômica Federal. A comissão decidiu apurar se Moreira favoreceu empresas do grupo Odebrecht e do grupo Bertin.

Padilha

No caso de Padilha, informou Mauro Menezes, o pedido de informações trata de eventual obstrução de Justiça e foi feito no âmbito de um processo já em andamento, que trata do ex-ministro da Secretaria de Governo Geddel Vieira Lima (PMDB-BA) - Geddel também foi denunciado pela PGR na semana passada.

Geddel

A comissão também decidiu nesta segunda apurar a conduta de Geddel Vieira Lima. Um procedimento trata de eventuais pagamentos ao ex-ministro, quando ele era vice-presidente da Caixa, em troca de informações e providências relacionadas a empréstimos efetuados pelo banco.

Mais Notícias : Janot: "Escroques ainda ocupam cargos na República"
Enviado por alexandre em 19/09/2017 08:18:39

Janot: "Escroques ainda ocupam cargos na República"

Postado por Magno Martins

Jornal do Brasil

Nos últimos minutos como procurador-geral da República (PGR), Rodrigo Janot endereçou uma carta de quatro páginas a todos os procuradores e servidores do Ministério Público Federal (MPF) afirmando que “escroques” ainda ocupam cargos “em nossa República”.

"Espero que a semente plantada germine, frutifique e que esse trabalho coletivo de combate à corrupção sirva como inspiração para a atual e futuras gerações brasileiros honrados e honestos", escreveu Janot, continuando: "Precisamos acreditar nessa ideia e trabalhar incessantemente para retomar os rumos deste país, colocando-o a serviço de todos os brasileiros, e não apenas da parcela de larápios egoístas e escroques ousados que, infelizmente, ainda ocupam vistosos cargos em nossa República".

"Ao fim desses dois mandatos que me foram outorgados pelos meus pares, entrego-lhes um Ministério Público diferente do que o que recebi dos meus antecessores", escreveu Janot

A mensagem enviada no fim deste último domingo (17) pelo sistema interno do MP também desejou boa sorte à sucessora do cargo, Raquel Dodge, sem deixar de mencionar que quando eleito procurador-geral, Janot era o primeiro da lista tríplice da categoria – ela ficou em segundo lugar e foi indicada pelo presidente Michel Temer. O mais votado foi Nicolao Dino, aliado de Janot.

"Ao fim desses dois mandatos que me foram outorgados pelos meus pares, entrego-lhes um Ministério Público diferente do que o que recebi dos meus antecessores", escreveu Janot, finalizando: "Construí, com um grupo de colegas, o projeto que foi submetido, em 2013, ao crivo da lista tríplice. Os membros do MPF confiaram em mim e nas ideias de inovação que minhas propostas representavam. Fui então o primeiro da lista tríplice.

Mais Notícias : Temer janta com Trump: protestos no hotel
Enviado por alexandre em 19/09/2017 08:17:55

Temer janta com Trump: protestos no hotel

Postado por Magno Martins

Na entrada do hotel Lotte Palace New York, do outro lado da rua, um pequeno grupo de brasileiros protestava contra a presença do presidente
EXAME: Lisandra Paraguassu e Anthony Boadle, da Reuters

Em suas primeiras horas em Nova York, o presidente Michel Temer não escapou de ouvir protestos e gritos de “Fora Temer” na sua chegada ao hotel em que se encontraria com o presidente norte-americano, Donald Trump, para um jantar.

Temer chegou no final da tarde desta segunda-feira a Nova York, onde participa da Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas. Seu primeiro compromisso foi um jantar com Trump, no hotel Lotte Palace New York, do qual participaram também o presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, o presidente do Panamá, Juan Carlos Varela, e a vice-presidente argentina, Gabriela Michetti.

Na entrada do hotel, do outro lado da rua, um pequeno grupo de brasileiros protestava contra a presença do presidente. Segundo assessores, Temer não chegou a ver o protesto.

O jantar, chamado pelo presidente norte-americano, tem como tema central a longa crise venezuelana.

Na abertura do encontro, Trump disse aos presidentes latino-americanos que a situação na Venezuela é “inaceitável”, que o país está em colapso e a população passando fome.

O jantar foi programado pelo governo norte-americano para tentar aumentar a pressão da região sobre o governo de Nicolás Maduro.

Trump já afirmou mais de uma vez que pode tomar medidas duras contra a Venezuela –inclusive ação militar– e, durante sua fala na abertura do Jantar, repetiu que pode tomar “medidas adicionais” se o país continuar em uma escalada autoritária.

O governo brasileiro tinha intenção de conseguir alguns momentos para discutir temas bilaterais, como o comércio de etanol e o acordo open skies, ambos com negociações travadas. Mas diplomatas brasileiros admitem que dificilmente haveria espaço para avançar nesses temas.

Regionais : Assessor de uma prefeitura no interior da Paraíba lamenta morte do pai do prefeito
Enviado por alexandre em 18/09/2017 23:31:58


Vocês conhecem Teddy? Eu não tive essa honra e não vou ter mais, porque Teddy morreu. Morreu de morte morrida e, ao que se noticia, seu desaparecimento foi muito chorado em Cuité de Mamanguape - Paraíba, onde residia até quando se deu o óbito.

E quem é Teddy?

Ora, seu curioso, Teddy é o cachorro do pai do prefeito de Cuité de Mamanguape. O prefeito chama-se “Jair da Farmácia” e Teddy, conta dedicado assessor da Prefeitura, tornou-se bastante conhecido na última campanha, como animador dos comícios do prefeito eleito.
O leitor amigo deve estar curioso, como eu também estou, para conhecer detalhes da oratória eleitoral do precioso canino.

O cachorro discursava latindo e, pelo que se depreende lendo o escrito do assessor, todo mundo entendia seu discurso.

O assessor não fala sobre uma provável missa de sétimo dia pela alma do cão. Tampouco adianta se algum vereador já apresentou projeto dando nome de rua ou de praça ao pranteado Teddy. Mas isso com certeza acontecerá.

Leia, abaixo, a emocionada homenagem do assessor ao cachorro que virou defunto:

« 1 (2) 3 4 5 ... 11925 »